quarta-feira, dezembro 2Notícias
Shadow

Procedimento inédito para correção do tipo mais comum de arritmia cardíaca chega a Blumenau (SC)

Andrei Lewandowski é responsável pelo procedimento em Blumenau (SC)

Ablação de fibrilação atrial é uma técnica minimamente invasiva que faz com que a aceleração repentina do coração não aconteça mais
A fibrilação atrial é o tipo mais comum de arritmia cardíaca. A transmissão irregular dos impulsos elétricos que coordenam as batidas do coração faz com que o músculo acelere repentinamente. Com o tempo e sem o tratamento adequado, o risco é uma insuficiência cardíaca ou a formação de coágulos que podem gerar um infarto ou AVC.

Além da descoberta precoce, alguns pacientes precisam de um procedimento chamado de ablação da fibrilação atrial. Minimamente invasiva, a técnica congela ou cauteriza uma pequena parte do coração que está ocasionando o problema. E a partir de agora é possível que ela seja realizada em Blumenau (SC).
Cardiologista da Cardioprime e responsável pelo procedimento, Andrei Lewandowski comenta que a ablação de fibrilação atrial é uma metodologia bastante específica e que pode dar mais qualidade de vida para quem sofre da doença. “Assim como todas as questões relacionadas à saúde, o diagnóstico precoce é fundamental. Mas certamente técnicas contemporâneas como essa são responsáveis por trazer uma outra perspectiva de futuro para os pacientes”, comenta.

Andrei Lewandowski é cardiologista, especialista em terapia intensiva e também em eletrofisiologia clínica invasiva. A Cardioprime é especializada em saúde cardiovascular e responsável pelo Pronto Atendimento do Coração do Hospital Santa Catarina.

Fatores de risco e sintomas para fibrilação atrial
Manter uma rotina saudável e a qualidade de vida são as principais atitudes para prevenção de problemas cardiovasculares. Não é diferente com a fibrilação atrial. Tabagismo, sedentarismo, sobrepeso e consumo excessivo de bebidas alcoólicas podem desencadear ou gerar o problema. No caso da doença, apneia do sono ou ronco, diabetes, hipertireodismo e estresse tendem a piorar o prognóstico.

A descoberta da doença é feita através de exames como o eletrocardiograma. Por isso é fundamental realizar o acompanhamento com o cardiologista periodicamente.
Os principais sintomas da fibrilação atrial são: palpitações no coração (que podem durar de segundos a semanas), quedas de pressão, fadiga, falta de ar, desmaios, enjoos e vertigem.

Sobre a Cardioprime
Fundada em 1992, a Cardioprime é um dos centros mais avançados em atendimento cardiológico do Sul do Brasil. São 18 médicos especialistas em várias frentes da cardiologista e uma estrutura com equipamentos de ponta para diagnóstico, tratamento e prevenção.
Responsável pelo Pronto Atendimento do Coração do Hospital Santa Catarina, onde também está localizada a clínica e o Centro de Hemodinâmica, a Cardioprime tem nível de Acreditação Plena pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade que audita serviços em saúde.
Todas as informações estão disponíveis no site www.cardioprime.med.br.

Marina Melz
www.melz.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *